sábado, 3 de fevereiro de 2018

E já é Fevereiro!! :o
De forma involuntária, tenho vindo a afastar-me das redes. A parte boa é que recomecei a ler. Tenho o objectivo de ler, pelo menos, 2 livros por mês.
Em Janeiro, comecei a ter aulas de costura e, afinal, estou a adorar.  Coso linhas tortas mas também não sou muito direita, portanto não faz mal. Agora estou a fazer um poncho! Nunca pensei!
O meu irmão foi vítima de um acidente e para não morrer passou um risco contínuo. Conclusão, é o culpado, segundo a seguradora. Afinal para que serve ter seguro?
Andei de Alfa Pendular, pela primeira vez.
Recomecei a quimioterapia e a terapia da fala.
Venha Fevereiro, para mim sem carnaval porque não gosto.

sábado, 6 de janeiro de 2018

Nos entretantos...

• terminei a quimioterapia. Não sei se estou contente ou triste por isso. Acho que estou ali no meio termo.

• fui ao Covão d’Ametade, é lindo, andámos por estradas manhosas, ao lado de ravinas que metiam medo ao susto. Subimos 2 vezes a Serra da Estrela por causa do GPS que teima em mostrar os caminhos mais difíceis.

• inscrevi-me num curso de costura e não sei onde me vou meter.

• recomecei a ter terapia da fala, por causa da paralisia.

• entre esperas de consultas, fui ao Wonderland, só para voltar a ver a Vida de lá de cima. Para mim, as coisas tornam-se mais claras nas alturas. Sim, nasci avariada.

• fotografei os dias e molenguei noutros.

• entre o Natal e o dia de hoje, recebi muitos bombons mas não comi nenhum ( não foi algo pensado, até porque a dieta entrou de férias ... mas volta hoje)

• a Apple estragou-me o telemóvel e agora não sei como agir.

• com o fim da quimioterapia, pude ( FINALMENTE) recomeçar a comer queijo fresco cá da terra. Sim, durante os últimos 2 anos, não comi queijo fresco e doeu.

• para mim, um 2018 com um bocadinho de mais saúde, uma cura ou tratamento e menos dores. O resto é bonús.
Para os que ainda passam por aqui ( valentes! ): Saúde. Se a tiverem, conseguem tudo o resto.

Feliz Dia de Reis!

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Quando soube da minha doença rara, tornei-me sócia. Paguei as quotas até ao dia em ligámos para lá e a ajuda que seria suposta receber, nunca chegou. Até hoje. Nunca atenderam o telefone. Nem no primeiro, terceiro ou nono telefonema. Nada.
Enviei uma carta a comunicar a minha desistência, tal como eles desistiram de mim, sem tentar. Nem mais um raro cêntimo. O meu pedido de cancelamento não foi aceite ( como não?). Não paguei mais nada. Ja tinha pedido o cancelamento e tinha, comigo, uma fotocópia como prova. Notas de crédito, com supostas quotas em atrasos, não tardaram em chegar. Continuava sem pagar e, finalmente, ao fim de um ano, desistiram. Outra vez, mas desta eu agradeci muito.
Desconfiava desta direcção mas existe um facto que não se pode negar: existem pessoas a receber ajuda dessa associação.
Pergunto apenas: o que será delas? Como vai ser agora para aquelas pessoas?