quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Desde que entrei nesta profissão de utente rara, já tive mais de dez agendas mas nenhuma chega aos calcanhares da agenda de 2018. Decidi fazer um Bullet Journal, até para treinar a minha letra mais regularmente mas, num dia de quimioterapia, bati com os olhinhos na agenda do IPO e fez-se luz! Tive a ideia maravilhosa de andar a pedir autógrafos a quem me ajuda nesta luta. Comecei pela secretária do meu médico, passei ao médico da esperança, não me esqueci da futura doutora que regressa sempre ao IPO, aos analistas que procuram as minhas veias em fuga, os técnicos super-mega-paciêncintes dos meus exames, os voluntários que aquecem a alma com um chá e o coração com palavras sábias, a todos os enfermeiros que colocam as gotas de esperança em mim e não me podia esquecer das senhoras que me dão um Fortimel como almoço. Até pedi ao casal super simpático da papelaria mesmo ali ao lado do instituto. Ainda não está completa mas é, seguramente, a agenda mais bonita que tive.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

São 2 anos e meio a fazer quimioterapia e começam a aparecer efeitos que não fazem cá falta nenhuma. Os rins começaram a chatear e agora a eterna questão: e se... Paramos? Continuamos? O querido “ e se...” faz questão de estar presente na minha vida, todos os dias.

Também não sei o que fazer. Se faz bem aos tumores, faz mal aos rins. Se páro a quimioterapia, corro o risco de os tumores aumentarem. O que sei é o seguinte: até posso piorar mas valeu muito a pena seguir este protocolo. E as pessoas que conheci no IPO? Seres fabulosos e de um grande coração.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017


(Ando numa roda viva, meio parada mas vida. Como sempre. E gostava muito de viver mais devagar, não me preocupar tanto com tudo antecipadamente. São os picos da Vida.)


* A lei da prioridade ainda me causa algum comichão. Tenho prioridade, segundo  um papel que tenho por aqui. Prioridade que uso, só e apenas, quando não me (nada) sinto bem, naqueles dias mesmo péssimos. Será normal sentir-me mal por usar algo a que tenho direito? Pois, é o que acontece.
Também não me cabe na cabeça o porquê de não existir uma única caixa exclusiva (em particular nos super e hipermercados). Não tenho de dizer que tenho prioridade! ''Olhe, desculpe, tenho prioridade.''. Naquela de querer ser educada, porque sou, até peço desculpa mas desculpa porquê? Por eu ter o que tenho? Por ter prioridade? Por tudo? Se existem caixas especificas para x, y ou w, porque não uma (das 2 ou 20 que estão fechadas) para uso exclusivo de quem tem prioridade?

* alguém sabe de alguma app para aceder ao blog através do telemóvel?